sexta-feira, 10 de agosto de 2012

As Gaúchas - Mary




Comecei a ganhar peso na puberdade, por volta dos 11/12 anos. Até então, eu era considerada uma criança magra. Até vitaminas tomei durante a infância por conta daquela falsa ideia dos pais de que os filhos magros devem ser doentes. Na medida em que fui ganhando peso, foi ficando cada vez mais difícil eliminá-los. Primeiro porque na adolescência a tendência é não nos importarmos muito com as consequências e depois porque é muito bom comer; sempre gostei e o fato de ganhar quilos com isso era uma completa novidade.

Tem o fator genético também. Ambas as famílias (pai e mãe) são de gordinhos e acredito que isso contribua para o corpo que eu acabei 'conquistando'. Minha família materna (com a qual eu mais convivo) é descendente de italianos e adora comer - vive arranjando pretextos pra isso. Meus hábitos sempre foram pensar na próxima refeição enquanto fazia a atual. Minha alimentação nunca foi um caos, mas sempre gostei de comer mais carboidratos do que qualquer outra coisa que me era oferecida. Sempre havia frutas e verduras, mas eu preferia massas e pães. Confesso que ainda prefiro. Inclusive, teve uma fase em que eu não comia fruta nenhuma por preguiça de tirar as sementes!

Ao longo dos anos iniciei inúmeras tentativas de emagrecer, mas sempre acabava desistindo. Perdia alguns quilos e acabava readquirindo-os por abandonar as dietas ultra restritivas a que me submetia. Tomei vários remédios tarja preta, fiz dietas de 13 dias, das frutas, da lua, de proteínas... No entanto, sempre ficava deprimida por passar vontade de comer. Os inibidores de apetite até reduziam um pouco a ansiedade, mas como eu comia até sem fome, não resolviam muito também.  Além disso, ficava neurótica e acabava me isolando de tudo o que podia ser 'tentação'.

Exercícios físicos também nunca fizeram parte da minha vida. Além da Educação Física do colégio - que era uma piada, nunca me inspirei a fazer nada. Comecei academia (musculação e aeróbica) várias vezes, mas sempre acabava deixando de ir após o primeiro mês. Faltava persistência.
O meu peso máximo foi 77,9kg no final de 1998. Então conheci os Vigilantes do Peso e, com eles, emagreci 19 kg em 1999/2000. Porém, a falta de motivação e as limitações financeiras, fizeram com que eu abandonasse o programa antes mesmo de atingir minha meta (que na época era 51 kg - eu tinha 22 anos). Só que eu lembrava muito bem como era o emagrecimento sem sentir fome e sem fazer nenhuma atividade física (talvez por isso eu levei mais de 11 meses pra perder esses 19kg).

Então, após outras tantas tentativas frustradas para eliminar peso sozinha e depois de ler o blog da Lu Francesa (que emagreceu um monte com o VP), falei com uma amiga também gordinha e resolvemos iniciar o VP em março 2008 e então comecei a escrever num blog tudo o que eu sentia, todas as conquistas, descobertas e frustrações. Trocar experiências com quem passa pelo mesmo que eu só me ajudava (e ajuda até hoje). O objetivo era termos uma perda de peso saudável e sem neuroses. Acreditem, é possível. Comecei a me exercitar com outra amiga enquanto frequentava as reuniões do VP semanalmente. Sabia que com 30 anos seria muito mais complicado perder peso sem fazer nenhuma atividade física. Sigo a dieta VP e faço exercícios (de 3 a 5 vezes por semana) até hoje.

Em setembro de 2008 eu já estava na minha meta de peso, que ficou estabelecida em 55Kg (dentro da faixa de peso saudável para minha altura e idade que é de 51 a 62Kg). Mas eu queria mais e baixei minha meta para 53Kg. Minha orientadora torceu o nariz, pois achava muito pouco pra minha estrutura óssea, mas acabou concordando. Cheguei a pesar 54Kg em fevereiro de 2009, mas a partir daí meu corpo forçava pra eu ficar nos 56Kg-57Kg. Então decidi parar de dar murro em ponta de faca. Estabelecida a minha meta (56Kg), em junho de 2009 ganhei meu certificado de Sócia Vitalícia do Vigilantes do Peso. E permaneci na meta por 1 ano, aproximadamente.

Porém, no inverno de 2010, uma série de problemas familiares me fez colocar a dieta de lado e eu acabei ganhando peso. Abandonei também meu antigo blog. Cheguei a 65,5Kg em novembro de 2010, então decidi voltar a me cuidar pra sempre. Aí comecei uma nova fase, com blog novo e tudo. Voltei à meta e às pesagens mensais do VP. Outra vez, no segundo semestre do ano passado muita coisa mudou na minha vida de repente, perdi 3 pessoas que eu amava em um intervalo muito curto de tempo e meu namorado adoeceu. Passei 4 meses “off-line” da minha alimentação e exercícios e recuperei 15Kg.

Voltei com tudo em janeiro de 2012 e de lá pra cá já se foram 11,6Kg. Faltam ainda 3,9Kg pra atingir a minha meta e está mais difícil agora, pois eu tenho sido mais permissiva em eventos e nos finais de semana. Mas eu não desisto. Quero estar na minha meta novamente em breve para me sentir completa, com a sensação de dever cumprido comigo mesma.

O Grupo Lightchê é uma das minhas principais âncoras pra não desistir porque temos contatos virtuais diários e nos encontramos periodicamente. Todas falam a mesma língua: saúde&emagrecimento.


5 comentários:

Deise Guimarães disse...

Amei!!! Mary bom te conhecer um pouquinho mais! Bjs

Expatriada disse...

Menina linda, super alto astral, energia linda e boa :) Adoro!

mikaella disse...

Mary linda,linda um sucesso !!
Amei encontrar sua história aqui.
Bjossss

Luális Rosa disse...

Linda Mary, és Guerreira e juntas vamos conquistar nossos objetivos! Beijão!!!

Sara disse...

Olá! Estou fazendo uma pesquisa de campo para o curso de Nutrição. Preciso de pessoas que respondam um questionário sobre atitudes alimentares. O teste é online e envio o resultado por e-mail para quem responder. É só acessar este link:

https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?fromEmail=true&formkey=dEF1eG5VczFZdlA1VTNwVUtGc191aEE6MA

Obrigada!